• Por Ana Luisa

Rio muito além das praias. Largo do Boticário, no Cosme Velho, encanta quem passa por lá.

Para aqueles que desejam conhecer o Cristo Redentor, vale a pena incluir na programação a visita aos casarões neocoloniais construídos no século 19 no Largo do Boticário, localizado no bairro Cosme Velho. O local, apresenta uma beleza natural e fica próximo de outros marcos históricos do bairro: o Solar dos Abacaxis e a Estação de Ferro do Corcovado.

O lugar leva este nome por causa de um antigo morador, o Sargento Joaquim José da Silva Souto, conhecido como Boticário por ser proprietário de uma Botica. O Largo abrigou pessoas de renome, que fizeram a história por lá, como o Marechal Joaquim Alberto de Souza Silveira, a crítica de arte Bárbara Heliodoro e o pintor Augusto Rodrigues, fundador da Escolinha de Arte do Brasil.

Em relação ao estilo arquitetônico, a aparência atual do casario na localidade deve-se muito aos materiais antigos e originais retirados das demolições realizadas durante as obras de modernização no Centro do Rio. O Largo do Boticário é um dos poucos lugares onde se pode ver o Rio Carioca correr a céu aberto. Os índios Tamoios se banhavam e acreditavam no poder mágico daquelas águas.

A região recebe a visita de turistas e estudantes de arte, que utilizam o local como inspiração para desenhar. Entre tantas histórias e tendo passado por transformações, o largo foi um dos cenários do filme 007 Contra o Foguete da Morte, em 1979, estrelado pelo ator britânico Roger Moore.

Com ar bucólico, o Largo do Boticário é uma relíquia carioca e garante que a visita seja uma verdadeira viagem ao passado.

Observação: Como o local é pouco conhecido até mesmo pelos cariocas, sugerimos que que a visita seja acompanhado.